quarta-feira, 19 de abril de 2017

Um "Toque" Para As Mulheres


Assistindo o Programa Livre, vi uma entrevista de Leda Nagle com uma mulher (não lembro o nome) que fez uma pesquisa sobre traição. A pesquisadora disse que o que mais chamou a atenção dela foi o motivo pelo qual os homens traiam. Ela disse que a maioria traia, a procura de uma companheira. Não acreditando, ela foi procurar as amantes dos traidores, para esclarecer os fatos. As amantes disseram que muitas vezes, quando eles se encontravam, não tinham relação sexual. Eles ficavam conversando, contando os problemas etc. Já com as mulheres que traíam, ela não encontrou um denominador comum. Cada uma tinha um motivo diferente.

Não sou a favor da traição, mas tem gente que já nasce com o DNA da traição. Não importa o que se faça, sempre vai achar uma desculpa para trair. Isso acontece mais entre os homens, porque é fruto de uma Sociedade machista desde os tempos de Cristo. Aliás, Jesus foi o primeiro homem a dar atenção às mulheres. Para você ver o valor que a mulher tinha naquela época: nenhum homem queria ter filha. Quando tinha, era como se fosse uma coisa ruim. Talvez fosse por causa do dote. A mulher, para se casar, o pai teria que dar um dote ao noivo. Até pouco tempo atrás existia esse negócio de dote. Praticamente era como se o pai estivesse pagando para casar a filha.

Mas o assunto aqui é traição. Acontece que muitas mulheres traem, também, por falta de companhia. Mas elas não se dão conta do que está acontecendo. Até hoje a mulher é criada para fazer amor, por amor. E não por uma “necessidade física”.  Então, quando elas têm a primeira relação sexual, se for com alguém que as façam “irem às nuvens”, elas se apaixonam, acham que é amor. Já os homens seguem o instinto animal. Aliás, instinto animal não, o animal só faz sexo para perpetuar a espécie. Seguem o “despertar” para o prazer. Um colega meu contou que fazia sexo com uma bananeira. Era assim: ele fazia um furo na bananeira, “forrava” com um pedaço de carne, e mandava brasa. Tive um vizinho que matou algumas galinhas da casa dele. Ele me contou que ficou observando um ovo, e pensou: se ela põe um negócio deste tamanho, então... Aí foi lá, saciar o instinto. Quando acabou, a bichinha saiu se batendo, e morreu. E ele só parou porque o pai dele descobriu. Já ouvi casos de relações sexuais com vários tipos de animais: com égua, cabra, vaca, cadela...

Já com a mulher não é assim. Quando “desperta” o desejo sexual numa mulher, geralmente ela cai na mão do primeiro cara que sentiu o “aroma do despertar”, e soube conquistar a confiança dela. Aí a pobrezinha, quando “vai às nuvens” (às vezes), pensa que encontrou o príncipe encantado, que aquele será o amor da sua vida para sempre.
Quando não é assim, tem muitas que casam sem saber que troço é o orgasmo, o que é ir às nuvens. Uma me contou que levou vários anos casada, sem saber o que era isso. Quando ela estava no meio das amigas, e as ouvia falando sobre a noite amorosa, dizendo que foi às nuvens, que foi assim, que foi assado...  Ela não falava nada. Ficava só pensando: Mas quanta bobagem. Uma besteirinha de nada, e elas ficam fazendo essa coisa toda.

Aconteceu que o marido dela a trocou por outra. Ela levou um tempo sem querer saber de ninguém, até que um dia, sem esperar, envolveu-se outra vez.  Felizmente o namorado soube conquistar sua confiança e ter paciência para aguardar a “primeira vez”. Quando a coisa aconteceu, e que o namorado a fez ‘ir às nuvens”, ela só pensou numa coisa: Então era disso que as minhas amigas estavam falando, não era daquela “coisinha” que eu sentia com fulano... Agora foi a vez dela de chegar contando as besteiras para as amigas.

A.J. Cardiais
15.03.2012
imagem: google

2 comentários:

Ana Bailune disse...

Como mulher, gostaria de dizer o que penso, se me permite.
Acho que a mídia encutiu na cabeça das pessoas essa coisa de "ir às nuvens." Se você não chega às nuvens, é porque há algo errado; se você não transa tantas vezes por semana, é porque seu casamento acabou. Sexo tornou-se mais importante do que companheirismo, amizade, cumplicidade, fidelidade, verdade. E quem não consegue ser como nos filmes pornôs, onde as pessoas desmaiam e gritam, finge. E acham que assim estarão seguras contra as traições, e serão consideradas "normais."
O anormal virou normal. Sexo é muito bom, mas ninguém chega às nuvens através dele, essa é a verdade. Quem diz que chega, mente.
Existe uma psicóloga em um programa de TV - ela é feiosa, já se casou e separou várias vezes e está mal-cuidada - que diz que é adepta do amor livre, e que permite que seu marido (ou maridos) tenham sexo com quem quiserem. Penso que ela age assim porque sabe que se não for desta forma, eles não vão ficar com ela. Aliás, nem assim eles têm ficado!
Acho que "lado animal" é desculpa para trair. Não somos bichos, e podemos controlar impulsos. Aliás, até os bichos controlam, e só fazem sexo para se reproduzirem. Portanto, não é justo comparar homens a bichos, eles são mais fiéis e mais sensatos que nós.
O que eu penso, é que relacionamento é muito mais que apenas sexo, e que sexo bom não segura relacionamento. O que segura, é companheirismo, cumplicidade, ter sonhos e objetivos em comum, amizade. Nem amor segura. Sei de casais que se amam e não se aguentaram juntos. Amam-se até hoje, mas não se suportam quando estão juntos, pois acreditam na mídia, nos sexólogos, nos psicólogos.
Sexólogos, na verdade, devem ser pessoas que fazem muito pouco sexo, e quando fazem, é ruim pacas. Falam do que não entendem. Ninguém entende, pois é algo impossível de se generalizar.
Aliás, esse comentário virou um post. Desculpe.

A. J. Cardiais disse...

Concordo plenamente com você, Ana. Fico revoltado quando vejo propagandas dizendo "sexo é vida". Beijos